quarta-feira, Abril 02, 2008

18 mil euros por mês...

Quando os Governos e Tribunais não respeitam as Leis que fazem....Será o Povo que vai Respeitar.. Quando os Criminosos fizeram as Leis ...

Se eu Fosse fosse assaltar uma casa ia preso....O Juiz do Tribunal da Lourinha Rouba 4 casas á minha Familia em troca de uns Dinheiros e ainda fazem outro Testamento falso igual ao do meu Avô ...depois Vai para a reforma tem 18 mil Euros por Mes ...O Sistema de Porcos tem que ter fim...


Governo Portugues em 3 anos de Poder só encobre fraudes e Corrupcção no sistema
O Tribunal da Lourinhã não tem nenhuma crebilidade ..Só faz fraudes....Depois Existe o Crime Organizado entre Finanças, conservatória, e Advogados que já consegui provar com Documentos .....Noutro Processo Tribunal até cria Testamento falso para roubar 4 casas, e em outro Processo ignora cheques com 100% de provas que nunca podia ter assinado pela Própria pessoa por se encontrar em coma no Hospital em Lisboa....Agora o Tribunal até ignora todo processo...Só me resta lutar contra este sistema corrupto senão o Crime organizado continua fazendo fraudes ..E o Governo nem quer saber...Ainda vem dizer que o Governo não tem nada a ver com Tribunais..Mas os Tribunais não tem nada que criar Testamento falso nem tocar em Testamento porque tocando fica fraude não existe mais Testamento,na Certidão de óbito de meu Avô diz que não deixa herdeiros sujeitos a inventário Obrigatorio???foi logo isso que o Tribunal foi fazer,que justiça de palhaçoes é esta afinal..meu Avô deixa usufruto vitaliçio no Testamento..Tudo o que o Tribunal pega cria um fraude como de ignorar um processo para favorecer o acusado com crimes que dão anos de Prisão...


Ps:Depois este Governo Portuga criminoso ainda mandaram e-mails um Dia adiantado 14 e recebia 13 com provedor Canadiano e ip da Telecom as E-mails ofender Meu Pai Falecido e Mãe chamaram Puta ...E quem mandou as e-mails ainda trabalha para o Governo...

Ps:As Provas estao no link carteiro fofoqueiro e Msn Live no skydrive

terça-feira, Abril 01, 2008

Grandes empresas...

Trabalho numa empresa de material eléctrico, que neste momento não dá oportunidades, nem salários condignos com as funções que são desempenhadas pelos seus funcionários. Estava numa equipa de 4 pessoas e neste momento estou sozinho com um "chefe" que não faz nada!... e recebo o mesmo por isso!!!
Infelizmente não posso mudar, porque está mau para quem não tem trabalho, e tenho as minhas despesas, logo tenho que me aguentar ao barulho. Uma inspecção geral de trabalho é que vinha mesmo a calhar... :P


terça-feira, Maio 01, 2007

De volta... e irritado com o "PATRONATO"...

Estou de volta...

Porque será que é sempre desta forma que tentamos aliviar um pouco...???

Será que nós somos, desculpem o termo... "pretos" da sociedade?
Fartamo-nos de trabalhar para receber o que nos é devido, ou assim deveria ser, mas ao final de contas, trabalhamos e trabalhamos e continuamos a trabalhar, para no fim sermos "agradecidos" com míseros ordenados!

domingo, Outubro 01, 2006

Hoje terminam as Teorias da Conspiração... ponto final numa breve, mas divertida, apesar de pouco produtiva. Brevemente irei postar um novo blog.

Até qualquer dia...

quinta-feira, Fevereiro 09, 2006

Voltando à OPA da Sonae

No Semanário Económico...

"03-02-2006

Rede fixa penaliza Portugal Telecom, segundo a UBS
PT tem o pior “outlook” entre as telecoms da Europa do Sul
A Portugal Telecom (PT) enfrenta as perspectivas mais negativas a médio prazo entre as congéneres da Europa do Sul. A posição é defendida pela UBS que, num estudo de research sobre as três principais operadoras da região, conclui que a empresa continuará a ser penalizada pelas fracas estimativas para a rede fixa."

"03-02-2006

Credit Suisse com perspectivas para o título
Revisão em alta para a Sonaecom
A holding para o sector de media e telecomunicações do grupo Sonae recebeu esta semana uma recomendação em alta por parte do Credit Suisse."

U2 foram os grandes vencedores dos Grammys

O grupo de rock irlandês U2 foi o grande vencedor da 48ª edição dos Grammy, os prémios da indústria de música norte-americana, ao ganhar nas cinco categorias para as quais estava nomeado. Mariah Carey foi a grande derrotada da noite.

A banda liderada por Bono Vox arrebatou os prémios nas categorias de melhor álbum ("How to dismantle na atomic bomb"), melhor canção ("Sometimes you can't make it on your own"), melhor interpretação em duo ou grupo rock ("Sometimes you can' t make it on your own"), melhor canção rock ("City of blinding lights") e melhor álbum de rock ("How to dismantle na atomic bomb").

O single do ano foi para os Green Day, com "Boulevard of broken dreams" , e o cantor John Legend foi considerado a revelação do ano.

A melhor intérprete feminina de música pop foi Kelly Clarkson, com o tema "Since U been gone", que ganhou também o Grammy para melhor álbum pop ("Break away").

O melhor intérprete masculino no campo pop foi o veterano Stevie Wonder , com "From the bottom of my heart".

A cantora Mariah Carey, nomeada para oito Grammys, acabou por ser a grande derrotada, ao conseguir apenas três prémios: melhor álbum de "rhythm and blues" contemporâneo ("The Emancipation of Mimi"), melhor canção de "rhythm and blues" ("We belong together") e de melhor vocalista feminina de "rhythm and blues", com a mesma canção.

OPA e contra OPA da Sonae.com à PT

No JN de hoje, 09 Fevereiro...

"O lançamento de uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) alternativa sobre a Portugal Telecom (PT) pode acabar por não se realizar por falta de liquidez financeira. O JN apurou que a pretensão do grupo liderado por Ricardo Salgado, em nome do Banco Espírito Santo (BES) e ontem noticiada pelo "Jornal de Negócios", está a encontrar entraves por falta de financiamento. O grupo de empresários e financeiros portugueses, em que se destacam Ricardo Salgado, Patrick Monteiro de Barros e Ilídio Pinho, não terá ainda desistido de avançar, mas a entrada do Crédit Agricole - principal parceiro do BES - não está a ser fácil de garantir."

Será assim tão mau que o grupo financeiro de Belmiro de Azevedo fique com a PT???

Pessoalmente, acho que, seria benéfico para Portugal, uma vez que a Sonae.com neste momento tem excelentes condições de desenvolvimento tecnológico a nível das telecomunicações, graças à sua parceria com a France Telecom. Para os consumidores, seria uma possível vantagem, na diminuição de custos mensais nas comunicações, como poderão ter melhores serviços, do que aqueles que são prestados actualmente pela PT.

in DE...
"
Há uma questão essencial nesta operação em que a Sonae oferece um prémio de 20% para comprar a PT: a possibilidade de se verificar uma contra Opa.

Isto é, de mais alguém considerar que deter a maior empresa portuguesa de telecomunicações é, de facto, um bom negócio. E ela é essencial porque pode baralhar todos os dados. As razões são simples.

Primeira razão: uma oferta que fosse além dos 9,5 euros por cada acção (mais dividendos) representaria uma conquista do mercado. Isto é, isso significaria que a Portugal Telecom é vista como geradora de valor para os accionistas e, mais importante, que muitos considerariam que a sua própria gestão traria resultados melhores. E assim, se uma OPA é bem vinda uma vez (porque é a expressão dessa livre dinâmica dos mercados), uma segunda OPA também teria de o ser. E desta forma um comprador português teria de ser igual a um qualquer outro comprador, português ou não, que tornasse pública a sua vontade de pagar pelo controlo do negócio.

A segunda razão decorre desta: o Estado português não é simples espectador na PT. Pelo contrário, tem um voto de qualidade de que o Governo não pretende abdicar. E se assim é, isso significa que a aparente força do primeiro argumento se modera pela presença do Estado. Nenhuma solução avança se contrariar o interesse de Portugal, poderá dizer o Governo. Ora, se isto é assim, como pode a Sonae comprar uma empresa que está, justamente, protegida de ataques que esse mesmo Estado possa considerar lesivos dos interesses nacionais? Via desblindagem, claro.

O que força o terceiro argumento: a desblindagem só se verifica se o Estado considerar que esses mesmos interesses não estão em risco. Melhor dito: não chega aceitar vender a Belmiro. É preciso garantir que essa desblindagem - que viabiliza a venda - não abre caminho a contra propostas. A uma ou várias contra OPA’s. Dito de outra forma ainda: a desblindagem dos estatutos da PT só faria sentido garantindo-se que ela apenas encaixava numa oferta aceite pelo Estado. Se fosse a da Sonae, teria de ser uma desblindagem à medida da Sonae. Certo?

Sim, o que força a quarta razão, de todas a mais complexa: para vender a Belmiro, teria de se desproteger a PT à medida do negócio, mantendo-a fechada a OPA’s de terceiros, como a espanhola Telefonica ou aos muito globais fundos de investimento. O Governo, que se tem dito adepto de mais concorrência, não poderia aceitar esta ideia. Isso é claro. Mas também não estaria certamente disponível para ceder a PT apenas por dinheiro fresco.

O que conduz à quinta e última razão: existe uma possibilidade razoável de o negócio não se concretizar porque, parecendo saudável para o sistema, torna vulnerável esse mesmo sistema. E o Estado, assumindo o dever de proteger o maior número possível de pessoas, torna-se normalmente avesso ao risco. "

Também no DE...
"
Analistas dizem que oferta é oportunidade para Governo afastar Telefónica

DE com Lusa


Os analistas de mercado que acompanham a PT consideram que a OPA lançada pela Sonae poderá ser uma boa oportunidade para o Governo afastar da corrida a espanhola Telefónica e também apontam que o executivo será decisivo no processo.

"Com a venda à Sonae, o Governo poderá estar a prevenir um problema futuro", afirmou à agência Lusa o analista da Lisbon Brokers John dos Santos.

"Entre perder a empresa e deixá-la ir para mãos estrangeiras", o Governo deverá aceitar a oferta da Sonae, acrescentou o analista.

John dos Santos nota, no entanto, que caso a Telefónica ou outra concorrente estrangeira surjam com uma proposta melhor, o
Executivo "ficará sem argumentos" para rejeitá-la, ao ter-se mostrado disponível para vender a Belmiro de Azevedo.

Isto, porque a maioria das casas de investimentos estão a aconselhar os seus clientes a aguardarem por eventuais novas ofertas, por considerarem baixo o preço por acção da PT oferecido pela Sonae SGPS (9,5 euros).

Maria Sumavielle, da Caixa Banco de Investimento reconhece que a oferta da Sonae SGPS está dois por cento acima do preço-alvo atribuído à PT, de 9,3 euros, mas refere que o banco está a aconselhar os seus clientes a aguardarem por novos desenvolvimentos.

A analista disse à Lusa que uma contra-OPA da Telefónica é "possível", mas este não parece ser o "momento propício" para a operadora espanhola fazer compras, já que adquiriu recentemente a britânica O2.

Por outro lado, a analista nota que "a Telefónica sabe" que o Governo não está interessado em que a PT seja vendida a estrangeiros e dificilmente seria viável que a operadora espanhola assumisse uma posição de controlo na congénere portuguesa.

Numa nota diária de 'research', o Dresdner aconselha os accionistas da PT a "rejeitar a oferta", por enquanto, e refer que o Governo português "será decisivo" neste processo.

Os analistas do Dresdner admitem "ser possível" que o Governo favoreça a venda da PT a um grande grupo português, em detrimento de um 'player' estrangeiro, como a Telefónica.

O Governo será submetido a "pressões consideráveis", caso a Telefónica lance uma contra-OPA, referem.

Outra nota da JP Morgan também frisa este aspecto, referindo mesmo "motivações políticas" na oferta lançada por Belmiro de Azevedo.

Segundo os analistas, a OPA poderá resultar de um interesse comum em criar um "campeão nacional [nas telecomunicações] e contrariar uma oferta definitiva da Telefónica".

Ainda assim, os especialistas notam que a Telefónica poderá ter menos interesse numa contra-proposta caso lhe seja permitido comprar a Vivo, acrescentando que esta parece ser a "única sinergia óbvia".

O Millennium bcp Investimento salienta, no diário de acções, que "será importante estar atento à reacção do Estado português e da Telefónica" e admite que "a oferta é exequível" para a Sonae, "assumindo a venda de alguns activos", como a Vivo, Optimus e PT Multimédia.

Ainda assim, o banco refere que, "no cenário de ter de rever em alta a oferta" e "pagar um preço demasiado alto", a Sonae e Sonaecom poderão ser penalizadas no futuro.

O Finibanco considera expectável que surjam contra-ofertas "por parte dos actuais accionistas da PT ou, eventualmente, de outros interessados".

Também nota que o valor da oferta é "aparentemente" baixo para a operadora nacional e salienta que "este será um processo bastante moroso", acrescentando que "ainda não foram facultados ao mercado alguns pormenores relevantes da operação".

O valor global da oferta pela totalidade do capital da PT ascende a 11,1 mil milhões de euros (10,7 mil milhões de euros relativos às acções e 390 milhões de euros relativos às obrigações convertíveis)."

segunda-feira, Janeiro 09, 2006

DESABAFO...

Voltei...

É incrivel como o patronato pode enganar os funcionários.
Por mero acaso, descobri que houve alguém que tomou o meu lugar onde trabalhava. Redução de pessoal por motivos financeiros... que grande falsidade, não custa ser honesto e dizer o porquê de irmos embora, tenho uma casa para pagar e não é com o Subsidio de desemprego que me safo.
Ainda por cima, dizem que as perspectivas da empresa para 2006 são boas, com aumentos de salários na ordem dos 8%, tal como podem ver aqui.
Honestidade acima de tudo, e depois querem passar as culpas todas para o Estado.

quarta-feira, Dezembro 07, 2005

PGR vai chumbar contrato entre Liga de futebol e Betandwin

in O PÚBLICO

"A Procuradoria-Geral da República vai considerar ilegal o contrato de patrocínio assinado entre a Liga Portuguesa de Futebol e a empresa de apostas online Betandwin.com. De acordo com o jornal "Independente", o parecer, que não é vinculativo, poderá pesar na providência cautelar que foi interposta contra o negócio.

O pedido de avaliação da legalidade do processo tinha sido pedido pelo secretário de Estado da Juventude e Desporto, Laurentino Dias, mas a decisão da PGR ainda não está nas mãos do Governo, segundo confirmou o próprio ao jornal. O contrato vale 10,5 milhões de euros para quatro épocas desportivas."

A questão que se coloca aqui agora é que, se foi assinado um contrato válido por 4 anos, quem vai assumir agora os valores da dissolução deste...

segunda-feira, Novembro 28, 2005

Alegre teme que Cavaco subjugue outros poderes

Via JN Online.

"Manuel Alegre desafiou mais uma vez, Cavaco Silva a esclarecer a sua ideia de "cooperação estratégica" que pretende aplicar se for eleito, pois se "entende que vai ser o chefe supremo de todos os órgãos de soberania, vamos ter um grande sarilho", referiu, ontem, na Associação de Cabo Verde, em Lisboa.

O candidato que dedicou o dia de ontem a uma ronda por três associações de imigrantes - de São Tomé, Cabo Verde e Brasil - revelou também as questões que pretende colocar ao ex-líder do PSD, no debate televisivo da SIC, marcado para a próxima sexta-feira.

Para Manuel Alegre, Cavaco Silva tem de tomar posição sobre questões europeias que se encontram na ordem do dia. "Se é federalista, se concorda com o Tratado Constitucional da União Europeia e que pensa das perspectivas finnaceiras".

"É um homem", disse, para logo rectificar, "um candidato sério, até tem perfil para ser candidato, mas não concordo com o modelo que defende para o país". "Tem uma noção errada de como resolver os problemas da competitividade", sublinhou, evocando os milhões em fundos comunitários que entraram no país, quando Cavaco Silva era primeiro-ministro, gastos em betão e não em qualificação.

O candidato realçou ainda que o presidente "tem o poder simbólico de assegurar o regular funcionamento das instituições, mas não é o salvador nem um D. Sebastião", em mais uma crítica velada ao economista. E sem uma única alusão a Mário Soares

Aos presentes, Alegre disse defender que quem nasce em território nacional, deve ser português e que quem ele possa ser eleito para qualquer cargo político. Mas a um jovem que perguntou se aprovaria um período extraordinário de legalização de imigrantes, só disse não ser um tema da competência do presidente.

Contra o compadrio

Anteontem à noite, na Figueira da Foz, Alegre já tinha dito que o presidente deve ser "mais interventivo sem invadir a esfera dos outros órgãos de soberania", elegendo o combate à corrupção como bandeira.


Adiantou, aliás, que além de ser o defensor da Constituição, o chefe de Estado deve ser quem tem "os olhos mais abertos contra um flagelo que está a minar o país", e ser intransigente para com o clientelismo e a corrupção na política. "É preciso um combate sem tréguas à corrupção, ao clientelismo e ao compadrio" referiu, perante 200 apoiantes. Preconizando ainda que o presidente deve "velar" para que a "não haja uma situação de permanente impunidade" na Justiça."